Maio Roxo: convivendo com a DII

Instituída no quinto mês do ano, a campanha Maio Roxo tem como objetivo trazer informação e conscientização acerca da Doença Inflamatória Intestinal, que afeta milhões de pessoas em todo o mundo e que merece total atenção.

Sendo uma manifestação patologia crônica, as DII’s são caracterizadas como um conjunto de sinais que se manifestam principalmente no cólon e no intestino delgado, que, por sua vez, formam lesões que afetam o intestino e o sistema digestivo. Os sintomas mais comuns incluem cólicas intestinais, dor abdominal e diarreia, que pode vir acompanhada por muco ou sangue.

Existem dois tipos mais comuns de DII: a doença de Crohn e a retocolite ulcerativa. A doença de Cronh, por exemplo, causa uma inflamação profunda do trato gastrointestinal, levando os portadores da doença a episódios de diarreias, cólicas e, em muitas das vezes, dores nas articulações. Já a retocolite ulcerativa atinge as camadas mais superficiais do colón e do reto, embora os sintomas sejam semelhantes ao primeiro caso.

As causas das DII’s não são totalmente esclarecidas, apesar de não serem descartadas as hipóteses relacionadas a desregulação do sistema imunológico, além de predisposição genética. Há certo consenso de que hábitos alimentares e fatores de estresse estejam associados ao agravamento dos sintomas.

É importante observar e não negligenciar os sintomas que envolvem a ocorrência de DII. As queixas dos pacientes quanto às alterações persistentes do hábito intestinal, por exemplo, podem facilitar o diagnóstico, que poderá ser concluído por meio de exames de colonoscopia, endoscopia digestiva e análise laboratorial de sangue e fezes.

A doença inflamatória intestinal pode comprometer a qualidade de vida dos pacientes se não tratada de forma adequada. O acompanhamento especializado e a mudança de hábitos estão diretamente relacionados ao controle dos sintomas.  



Deixe uma resposta

Comentários