Luta contra o câncer ovariano

O mês de maio é marcado pela luta contra o câncer de ovário, segunda neoplasia ginecológica mais comum no mundo. No ano de 2020, o Instituto Nacional de Câncer (INCA) estimou cerca de seis mil novos casos. Silencioso e de difícil diagnóstico, o câncer de ovário apresenta grande letalidade.

O tipo mais comum de câncer de ovário é conhecido como adenocarcinoma e representa cerca 95% de todos os casos, sendo responsável por atingir as células epiteliais que revestem o ovário. Há, ainda, os de origem nas células germinativas e nas células estromais.

O câncer de ovário não apresenta sintomas específicos em sua fase inicial. À medida que o tumor cresce, ou seja, em sua fase mais avançada, a percepção de alguns sintomas se faz presente. Incidências de dor e inchaço abdominal, perda de peso, alterações intestinais e na micção são alguns dos sintomas notados. Por ter sinais que podem ser confundidos com os de outras doenças, a recomendação é atentar-se para a duração e recorrência dos indicativos da doença.

As mulheres em geral estão propensas ao desenvolvimento de câncer ovariano, embora alguns fatores contribuam para o aumento do risco, tais como:

– o avanço da idade; 50% dos casos de câncer ovariano epitelial acomete mulheres acima de 60 anos;

– excesso de peso corporal;

– histórico familiar de câncer de mama, de ovário e de intestino;

– fatores genéticos, reprodutivos e hormonais.

Ao contrário de outros tipos de câncer que possuem exames para diagnóstico, como é o caso da mamografia para o câncer de mama e o Papanicolau para o câncer de colo de útero, não há exame característico para rastreamento do câncer de ovário, embora o ultrassom endovaginal auxilie na detecção de indícios que possam indicar alterações ovarianas.

Neste sentindo, acompanhamento médico periódico torna-se essencial para avaliação clínica e rastreamento de manifestações suspeitas. Trazer informação acerca desse tipo de tumor é um dos objetivos do Dia Mundial de Combate ao Câncer Ovariano, celebrado no dia 08 de maio! Informar é prevenir!

Fonte: https://www.inca.gov.br; https://institutodecancer.com.br/



Deixe uma resposta

Comentários