Álcool e gravidez não combinam: confira as sérias complicações para o bebê

Uma dosezinha não faz mal… 

Você, que está grávida, pode até pensar que uma inocente taça de vinho ou  uma inofensiva caneca de chope não alteram em nada a sua gravidez. 

Mas é aí que mora o perigo, você sabia? 

Álcool e gravidez não combinam! 

Isso é tão sério que a OMS (Organização Mundial de Saúde) aconselha que mulheres grávidas não bebam. 

Se você não sabe, o álcool cruza livremente a placenta da mãe e chega até o bebê, que não consegue metabolizá-lo

Por isso, nenhuma dose é segura. 

A ingestão de bebidas pode provocar consequências graves ao feto ainda em sua formação. 

A principal delas é o FASD (Espectro de Alterações Fetais – sigla traduzida do inglês), que altera a formação do feto, especialmente o cérebro. 

E com o comprometimento no desenvolvimento de um dos principais órgãos do corpo, o bebê pode apresentar dificuldades de aprendizagem, memorização e fala

Além disso, a criança ainda pode ter problemas comportamentais e está mais propenso a se tornar dependente de álcool e drogas na adolescência ou no início da vida adulta. 

Infelizmente, cerca de 15% das gestantes ainda consomem bebidas alcóolicas no Brasil. 

E estima-se que um a cada 100 nascidos vivos apresentam essas consequências.  

Mas não são só os bebês os prejudicados pela combinação de álcool e gravidez. As mulheres têm mais chances de terem um parto prematuro. 

Por isso, não consuma álcool e cuide da sua gravidez. 



Deixe uma resposta

Comentários